O Programa ReDes é uma parceria entre o Instituto Votorantim e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, com apoio das empresas do Grupo Votorantim, que tem por objetivo contribuir com o desenvolvimento sustentável de municípios brasileiros. Iniciada em 2010, a iniciativa acontece em 28 municípios, em 11 estados e no Distrito Federal, com indicadores socioeconômicos críticos e a presença de uma unidade da Votorantim na região.

O ReDes apoia a estruturação de negócios inclusivos, por meio da articulação de cadeias produtivas e investimento em projetos. A metodologia contempla a participação da comunidade em todas as etapas do programa, dando transparência e gerando articulação entre os três setores da sociedade – governo, iniciativa privada e terceiro setor.

O BNDES e o Grupo Votorantim irão investir R$ 110 milhões (50% de cada um dos parceiros) até 2020. Esse montante inclui também investimentos do Programa de Apoio à Gestão Pública, que busca contribuir para a modernização da gestão pública e a redução de déficit de infraestrutura em municípios.

Cronologia

2010  2010

Assinatura do convênio entre o Instituto Votorantim e o BNDES.

Desenvolvimento da metodologia.

2011  2011

Entrada em 25 municípios.

Mobilização dos envolvidos e início da construção de planos de negócios.

2012  2012

Finalização dos planos de negócios, avaliação local e seleção dos projetos a serem apoiados.

2013  2013

Início do investimento em 39 negócios inclusivos.

Processos Legais e infraestrutura.

2014  2014

Entrada em três novos municípios.

Inaugurações e início da comercialização.

2015  2015

Início do investimento em 9 negócios inclusivos.

Entrada em dois novos municípios.

Metodologia

O programa ReDes tem ciclos anuais que permitem a identificação de prioridades locais, mapeamento de organizações produtivas e desenvolvimento de planos de negócios em novos municípios. Todo o processo busca sinergias com políticas públicas voltadas para populações em situação de vulnerabilidade.

Etapa 1

Etapa 1 - Diagnóstico e qualificação de planos de negócio

1 ano

  • Priorização de linhas com maior potencial de impacto
  • Desenvolvimento de planos de negócios com viabilidade social e econômica
  • Seleção de projetos para receberem apoio

Etapa 1

Etapa 2 - Implantação de planos de negócio

2 a 3 anos

Foco em quatro eixos principais:

  • Regularização, licenciamento e documentação
  • Infraestrutura, bens e equipamentos
  • Comercialização e ampliação de mercados
  • Autogestão, governança e pessoas

Etapa 1

Etapa 3 - Estratégia de autonomia

1 ano

  • Fortalecimento de rede de parceiros (técnicos e financeiros) no municípios e região
  • Fortalecimento dos processos financeiros e de gestão
  • Reforço do plano de sucessão das lideranças

Quem faz parte

A instância máxima de governança é o Comitê do Programa ReDes. Formado pelo Instituto Votorantim, BNDES e executivos das empresas do Grupo Votorantim, o Comitê toma as decisões de investimentos e realiza o acompanhamento dos resultados.

Quatro empresas do Grupo Votorantim fazem parte do ReDes: Votorantim Cimentos, Votorantim Metais, Votorantim Siderurgia e Fibria. O processo de planejamento do programa está alinhado ao planejamento e atuação social das empresas.

As empresas do Grupo Votorantim têm papel importante no desenvolvimento do ReDes. Para cada município, além do gerente da unidade local, um funcionário é responsável pelo diálogo com a comunidade, acompanhamento a execução do programa e articulação de parceiros estratégicos.

Outro diferencial do programa é que além do acompanhamento dos projetos por consultores especializados, são contratados assessores locais, que acompanham semanalmente cada um dos projetos, apoiando na garantia de resultados do programa.

Organograma

Linhas de ação

O programa atua em quatro linhas de ação, definidas a partir da identificação de oportunidades nos municípios e de uma análise estratégica de prioridades, são elas:

Abastecimento alimentar: reúne projetos de pesca, agricultura familiar, avicultura, laticínio e apicultura e o objetivo é aumentar o valor agregado dos produtos. Para isso, na maior parte dos negócios apoiados, a produção deixa de ser vendida in natura e passa ao menos por um pré-beneficiamento.

Comércio e serviços: Nessa linha de ação o ReDes tem trabalhado na melhoria do processo de comercialização e na busca para ampliar o acesso ao mercado.

Economia Criativa: O foco é fortalecer o patrimônio cultural local, com aprimoramento de técnicas e design dos produtos de artesanato, possibilitando que eles possam atingir outros municípios e regiões do país.

Reciclagem: Nessa frente, o programa apoia cooperativas e associações de catadores de materiais recicláveis, colaborando na estruturação do setor e na criação de canais de prestação de serviços.

grafico